Tempo, arquitetura e mar são elementos centrais da exposição de Malu Fatorelli: clepsidra, relógio de sol, pêndulo, Suíte Líquida e outros trabalhos, como os desenhos Vazantes compõem múltiplas temporalidades.

Malu Fatorelli ao recriar plasticamente os mecanismos de medição do tempo lembra o eterno desejo do homem de pensar a repetição de dias, horas, minutos e segundos, apesar do tempo, por sua natureza sucessiva não poder se repetir.

A clepsidra, também conhecida como relógio d’água, um dos mais antigos métodos de medir a periodicidade cíclica do dia terrestre, baseada no escorrimento de água em um vasilhame com medição das horas. Aqui, a Clepsidra, 2014, realizada com projeções filmadas do mar em todas as paredes de uma sala, transformando  a arquitetura em recipiente. A passagem do tempo é realizada pelas subidas e descidas das ondas, numa escala de 8 minutos por 24 horas.

Malu fotografou todo o skyline da Lagoa e colocou esse material no segredo de doze chaves, matrizes gráficas de uma paisagem-tempo. Do mesmo modo o vídeo Lugar do tempo, 2010, registra a projeção de uma fonte luminosa em movimento sobre uma chave-paisagem. Sombras e reflexos remetem a coordenadas espaciais ou a uma espécie de relógio de sol que remonta aos egípcios e babilônicos. Este vídeo-relógio configura seu movimento contínuo, poético e impreciso projetado sobre uma tela de pintura.

A sucessão irreversível do tempo é afirmada pelo trabalho Suíte líquida, 2014, constituído de uma cuba de acrílico, com tinta de cor lápis lazuli e papel japonês, que, impregnado de azul, forma desenhos. Outros desenhos compõem a mostra, como Vazantes, 2014; que remetem, segundo a artista,”à recriação da maré – ampulheta líquida”[1] Ou ainda, Espaço sobre tempo, também de 2014, feitos a partir de imagens do mar de Ipanema, e Mar de dentro, 2014, frotagem sobre vitral original da casa com a representação do mar.

Recentemente, Malu inaugurou na UERJ um dos raros, senão único, Pêndulo de Foucault no Brasil. O trabalho Para desenhar o mar, 2014 alude a esta experiência.

 


[1]Malu Fatorelli. Notas sobre a exposição. Inédito. Todas as citações da artista se referem a esse texto.

Imagens por Mario Grisolli.